Notícias | Vaticano
Luta contra Aids: jovens se mobilizam em corrente de atendimento no Brasil - 11/10/2017 - 9:30

Porto Alegre (RV) – A população que gera maior preocupação no Brasil quando se trata de Aids é aquela jovem. A pior fase da epidemia de HIV, entre as décadas de 1980 e 1990, realmente já passou, mas a doença persiste e o trabalho de conscientização e tratamento se torna fundamental nesse panorama.

A coordenadora do Serviço de Evangelização da Juventude, Regional Sul 3 da CNBB, Irmã Zenilde Fontes, trabalha diretamente com grupos de jovens que estão sendo estimulados a abraçar quem já convive com o HIV – a exemplo da Pastoral da Aids. Sobretudo no Rio Grande do Sul, adianta ela, em que dados de infecção na juventude é alarmante, “é necessário multiplicar essas experiências para que seja formada uma corrente de atendimento no Estado que atenda essas realidades”.

Ir. Zenilde - “Nesse cenário, a juventude que descobre que tem o vírus, não faz muita questão de fazer o tratamento, não tem muita perspectiva de vida: se morrer, morreu; se não deu certo, tudo bem. Mas quando são pais existe uma preocupação maior porque há filhos para cuidar, então buscam ajuda para poder sobreviver.”

A Pastoral da Aids atua no país através de mobilizações locais de prevenção que informam a sociedade, mas, principalmente, com ações que dão acolhimento e apoio a quem vive e convive com o vírus HIV. Agentes capacitados trabalham na assistência de base, sem preconceitos, acompanhando e defendendo os direitos de quem foi infectado.

Em Porto Alegre, o projeto dos freis capuchinhos é realizado na Casa Fonte Colombo. O centro de acompanhamento de pessoas portadoras do vírus HIV oferece desde refeições a terapias alternativas, mas também um espírito comunitário já que os pacientes se ajudam entre si.

Ir. Zenilde - “Essa obra é praticamente tocada por pessoas voluntárias: massoterapeutas, psicólogos, enfermeiros, cabeleireiros; todos em volta para fornecer uma dignidade melhor pra pessoa, para serem enxergados como gente. Eles recebem banho quente e comida, como arroz e feijão. Ali se faz voluntariado pra tudo pra se caminhar por uma vida digna. Além disso, se faz um mapeamento nos locais mais carentes da cidade para também desenvolver um trabalho de conscientização em relação à doença.”

Uma pessoa que segue o tratamento da doença tem grande qualidade e expectativa de vida, com inserção social e familiar normal. O engajamento em prevenção, tratamento e realização de testes, então, é de suma importância, principalmente na faixa jovem da população.

 

Clique aqui para ouvir:

 

Fonte: Rádio Vaticano

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Receba nossa newsletter

 

     

Articulistas         Catolicanet
Teresa D’Ávila: oração e contemplação
No dia 15 de outubro recorda-se na Igreja uma mulher...
Pe Geovane Saraiva 17.10.2017
História da humanidade
O tema parece bastante abrangente, mas pode ser visto de...
Dom Paulo Mendes Peixoto 16.10.2017
Marcelo Rezende morreu crendo que a oração o salvaria
“De todos os homens maus os homens maus religiosos são...
Pe. Inácio José do Vale 16.10.2017
Cursos
Buscar Cursos
 
 
Catequese Inclusiva
O Curso on line de catequese Inclusiva, tem como objetivo incentivar os ...

R$65.00


Curso para Catequista
*Cá entre nós* é um convite, um chamado para bater um papo amigo. É a ...

R$68.00


- Curso Bíblico Nível I
- Curso de Comunicação
+ Ver todos os cursos
 

Banner

Catolicanet - Tel: 55 (0xx) 11 5660-6800
Atendimento disponível das 08:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00hs,
exceto Sábados, Domingos e Feriados.

Sobre a Catolicanet Imprensa Contato Política de Privacidade

2017 - Todos os direitos reservados - www.catolicanet.com.br Desenvolvido por: Grupo O.F.